powered by

“Se o Solar dos Presuntos fosse um carro, seria um Mercedes-Benz dos antigos”, diz Pedro Cardoso

Conduz os destinos de um dos mais prestigiados restaurantes lisboetas, o Solar dos Presuntos, eleito, ontem, como o “melhor do ano”, pela Revista de Vinhos. E admite que não gosta de passar o volante a ninguém.
Check-up Media Pedro Cardoso

Manter um restaurante como o “Solar dos Presuntos” na direção certa, sem nunca perder tração, mesmo durante uma crise pandémica e económica como a que vivemos, não poderá ser uma missão fácil ou para mãos inexperientes. Pedro Cardoso segue ao volante, numa posição que foi do seu pai, Evaristo Cardoso, fundador da casa, em 1974, e aquece já o banco da liderança para a terceira geração: a sua filha.

Mas, em entrevista ao Check-up, o responsável pelo restaurante que acaba de ser eleito o “melhor do ano”, pela Revista de Vinhos, admite, sem reservas: “Não gosto mesmo nada de ser conduzido”.

Uma expressão que poderá ser lida de várias formas. Porque em todas elas fará sentido. “Nunca na vida gostei de ser conduzido. Adoro liderar, adoro ter na mão o comando. E, muitas vezes, é uma das acusações que me fazem: a de que não o consigo passar a ninguém. É-me difícil deixar a minha equipa a andar sozinha. Mas, aos poucos, agora com a presença da minha filha, vou começar a ter isso em conta”, garante Pedro Cardoso.

Elétrico e personalizado

Num sentido mais literal, o caso é o mesmo. Diariamente, conduz um smart, de dois lugares, 100% elétrico e personalizado com o nome e imagem do “Solar dos Presuntos”. Pedro Cardoso não pensa “trocá-lo” por nenhum outro. “Dá-me muito gozo. Faço, todos os dias, poucos quilómetros. Mas como está caracterizado, dá-me visibilidade.

Gosto que as pessoas conhecidas e os meus amigos, no trânsito, me cumprimentem. É uma forma de comunicação. Gosto muito. Não gosto de carros muito sofisticados”, explica o responsável, que também já teve algumas situações mais caricatas pelo facto de ser facilmente identificável. “Numa ocasião, já me aconteceu dar uma buzinadela e ter uma resposta de alguém que conhecia. Fiquei muito encavacado”, confessa.

Para manter o smart elétrico de boa saúde, Pedro Cardoso recorre “sempre” às casas de origem da marca. “Mantenho as manutenções, até ao final da vida dos meus carros, dentro da marca onde os comprei”. De resto, assume que as suas qualidades gastronómicas não têm equivalência na mecânica. “Não sou nada habilidoso. Não é mesmo o meu forte e entrego sempre este serviço a quem de direito”.

Longa quilometragem

Apesar da preferência por veículos pequenos e ligeiros, Pedro Cardoso não tem dúvidas. Se, por mero acaso, o “Solar dos Presuntos” fosse um automóvel, seria um Mercedes-Benz ou um BMW. “Mas não desta geração. Dos antigos, devido à quantidade de quilómetros que fazem. De há 20 anos, daqueles que ainda hoje se veem na praça e a funcionar em pleno”, explica ao Check-up.

Check-up Media Pedro Cardoso restaurant

Os tempos são negros. E para a restauração, que, pela segunda vez, teve de fechar portas aos clientes, a situação é grave. Mas Pedro Cardoso não é de baixar a guarda. “No primeiro confinamento tivemos a oportunidade de verificar o que se poderia fazer e de preparar as equipas para poder dar resposta aos pedidos. Estamos vivos e a trabalhar! Não interessa se muito ou pouco. Interessa sim que estamos a fazê-lo de forma saudável”, afirma.

Pessoalmente, também foi possível tirar ilações. Desde logo, modos de “preparar o futuro” para melhor lidar com eventuais crises semelhantes. E, depois, valorizar aquilo que se tem a cada momento e “não chorar em situações tão positivas como as que tivemos até hoje”, salienta.

“Nada na vida é por acaso”, defende. Hoje, o nosso convidado da Oficina Vip está onde tinha de estar. Que o diga a sua professora de Química do 12.° Ano, que, quando ele confidenciou que gostaria de seguir aquela área, replicou: “Oh Pedro, tu tens um restaurante fantástico e um dom para a cozinha. Segue antes a carreira dos teus pais”. Talvez se tenha perdido um grande químico, mas deu-se continuidade a um restaurante ainda maior.

Últimas

Atualidade

Internacional