powered by

Xiaomi não se contenta com telemóveis e quer veículo elétrico

A marca chinesa de telemóveis pretende seguir os passos da Apple e dedicar-se ao desenvolvimento de um veículo elétrico e autónomo. Na mira está a Tesla.

Diz-se que os veículos atuais são computadores com rodas. Uma tendência que parece confirmar-se e poderá, inclusivamente, acrescentar-se que a indústria nunca foi tão apetecível, como hoje, para os gigantes tecnológicos.

Que o diga a Xiaomi, um dos três maiores fabricantes de dispositivos móveis do mundo. Depois de conquistado o estatuto de referência no mercado dos smartphones, a empresa chinesa, que produz ainda tablets, auriculares, televisões e scooters, está a voltar-se para os veículos.

Segundo a Reuters, a marca terá já um acordo com os compatriotas da Great Wall Motors, o maior construtor privado de veículos da China, para o desenvolvimento e produção de um automóvel 100% elétrico e autónomo.

A parceria ainda não foi oficializada, mas já faz correr muita tinta. E já contribuiu para valorizar as ações da fabricante de smartphones em 9% na bolsa de Hong Kong. Mesmo antes do site chinês ITHome revelar que as marcas “Xiaomi Auto” e “Xiaomi Automobile” já foram registadas.

Ainda de acordo com a Reuters, o gigante tecnológico deverá alargar aos seus automóveis a fórmula vencedora que aplica aos demais produtos do seu catálogo, oferecendo “qualidade e sofisticação, design agradável e preço competitivo”. Por outras palavras, o objetivo será posicionar-se no segmento premium e concorrer com o iCar da Apple. E com os modelos da Tesla.

Secção patrocinada por empresas que apoiam jornalismo de qualidade
Euromais peças e pneusSoc. Coercial C. Santosexpomecanica_300x150SKFMewaliquimoly_300x150_m

artigos relacionados

Últimas

Atualidade

Internacional

Atualidade