powered by

Suzuki Vitara Hybrid: concentrado de tecnologia

Motor 1.4 Boosterjet a gasolina de 129 cv. Sistema SHVS, que integra um gerador ISG de 48V. Tração AllGrip. Equipamento GLX. O Suzuki Vitara Hybrid é um concentrado de tecnologia.

A Suzuki não resistiu aos encantos da tecnologia Mild Hybrid. Ao ver ser-lhe aplicado o sistema SHVS (Smart Hybrid Vehicle by Suzuki), o Vitara passou a dispor de mais argumentos para se impor no mercado nacional.

Anunciando uma maior eficiência no que diz respeito ae consumo de combustível, este SUV recorre aos préstimos do motor 1.4 Boosterjet de 129 cv, que traz acoplada uma caixa manual de seis velocidades bem escalonada (ainda que nem sempre rápida e precisa nas solicitações mais exigentes, diga-se em abono da verdade).

Ao incorporar o supracitado sistema semi-híbrido de 48V, que aumenta a eficiência de combustível e melhora a experiência de condução graças ao facto de dispor de uma voltagem superior à do convencional sistema de 12V presente em outros modelos da Suzuki, o Vitara tem, de facto, no motor a gasolina de 1,4 litros um dos seus ex-líbris. Tanto mais, que oferece boas acelerações e recuperações interessantes.

O sistema SHVS integra um gerador ISG (Integrated Starter Generator) de 48V, que abrange uma função de motor elétrico, uma bateria de iões de lítio de 48V e um conversor de 48V para 12V DC/DC. O sistema assiste o motor de combustão e fornece uma potência adicional de 14 cv, em função das necessidades de condução.

Do elenco técnico do bloco 1.4 Boosterjet, fazem parte a injeção direta de gasolina (com sistema de sete orifícios que permite controlar melhor a quantidade, o tempo e a pressão do combustível injetado), a taxa de compressão aumentada para 10,9, a sincronização elétrica variável das válvulas de admissão (VVT) e a recirculação de gases de escape refrigerados (EGR).

Segundo a marca japonesa, a tecnologia Mild Hybrid de 48V permite uma redução de emissões na ordem dos 15%, enquanto que o consumo combinado (WLTP) da versão AllGrip, aqui em análise, diminui cerca de 1,2 litros aos 100 km, verificando-se, por isso, uma diferença significativa em matéria de custos com combustível.

Visual irreverente

Os faróis de LED com design atrativo e o vermelho “Bright” que reveste a carroçaria de cinco portas, conjugada com o tejadilho preto, conferem um visual irreverente a este SUV. Para mais, dispondo de inserções cromadas e jantes de 17” com superfície polida. No portão traseiro, dificilmente caberiam mais letterings: “S” da Suzuki ao centro; inscrições Vitara, Hybrid e AllGrip do lado direito.

Abrindo uma das portas que garante um ótimo acesso ao interior, é notória a qualidade bastante razoável de materiais, acabamentos montagem. Nem todas as superfícies são macias, é verdade, mas o nível geral é deveras convincente. Mas, melhor, mesmo, é o posto de condução. O volante, de três braços, oferece uma pega agradável, o comando da caixa está bem posicionado e o banco assegura um suporte lateral e lombar de bom nível. Quanto à localização dos comandos secundários, nada a apontar.

O amplo espaço interior torna as viagens agradáveis a bordo do Vitara, assim como a bagageira permite transportar quase tudo. Arrumação também não falta no habitáculo, com os pequenos compartimentos a completarem o porta-luvas e as bolsas nas portas de dimensão razoável.

No que a equipamento diz respeito, tratando-se da versão GLX, este SUV está recheado de várias “mordomias”. Chave inteligente, sistema de ignição com botão, cruise control adaptativo, ecrã tátil, câmara de marcha-atrás, sensores de estacionamento, sistema de navegação e bancos dianteiros aquecidos são apenas alguns itens.

Em matéria de segurança, o Vitara conta com sete airbags, controlo de estabilidade, controlo da pressão dos pneus, assistente em descidas e o chamado DSBS (Dual Sensor Brake Support), que integra nada menos do que travagem de emergência autónoma com reconhecimento de peões, alerta de mudança de faixa, alerta anti-fadiga, assistente de mudança de faixa, interpretação de sinais de trânsito, deteção de ângulo morto e alerta de tráfego posterior.

Desempenho eficaz

O sistema de tração integral (AllGrip), que permite selecionar, através de comando colocado junto à consola central, entre quatro modos de condução (“Auto”, “Sport”, “Snow” e “Lock”), é outra das mais-valias do Vitara. Tanto mais, que permite adaptar a tração às diferentes necessidades de condução. Refinado para oferecer maiores níveis de emoção, segurança e diversão, o sistema AllGrip é anunciado como sendo um exclusivo da Suzuki.

Em estrada, este SUV proporciona um desempenho eficaz. Além das boas prestações do motor a gasolina de 1,4 litros (que é, também, comedido nos consumos), a direção tem uma assistência correta, os travões cumprem bem a sua missão e o rolamento em curva não é muito acentuado, controlando a suspensão relativamente bem as oscilações da carroçaria.

Confortável q.b., o Vitara releva sempre boa motricidade e mantém-se estável nas solicitações mais exigentes. Fora de estrada, a altura ao solo, a capacidade de tração e os pneus Continental ContiEcoContact 5, de medida 215/55 R17 94V, permitem algumas incursões por terrenos mais atrevidos. Mas nada de exageros.

Tal como no modelo da anterior geração, o novo Vitara pode ser requisitado com os packs Rugged ou Urban, que elevam a personalização a um nível superior. Retrovisores, spoiler dianteiro, molduras laterais e embelezadores quer na grelha frontal quer no para-choques, são elementos que moldam o Vitara aos gostos de cada um.

Sem despesas administrativas e pintura metalizada, o Vitara Hybrid AllGrip ensaiado pelo Check-up custa €30.395. Preço que se ajusta face a tudo o que é proposto. Agora, outras boas notícias: ao abrigo da campanha de financiamento da Suzuki, o preço desce €2.700. Quer isto dizer, que a unidade aqui presente pode ser adquirida por €27.695.

https://www.youtube.com/watch?v=LFUNQFvsarA
Secção patrocinada por empresas que apoiam jornalismo de qualidade
Benecar_banner_865x175

artigos relacionados

Últimas

Pneus