powered by

Santuário francês dos motores Diesel rende-se, por fim, aos elétricos

Centro fabril de Trémery-Metz, em França, onde são concebidos os Diesel das cinco marcas da Stellantis, passa (também) a produzir motores elétricos.

Sinal dos tempos ou constatação de que a realidade é, cada vez mais, elétrica? Porventura, um pouco de cada. Mas a unidade industrial de Trémery-Metz, em França, onde são concebidos os blocos Diesel das cinco marcas da Stellantis, passam (também) a produzir motores elétricos.

Uma mudança estratégica no epicentro do gigante francês, mas que não significa o abandono dos propulsores Diesel, de última geração, dotados de eficazes sistemas de descontaminação dos gases de escape e cumpridores das apertadas normas ambientais da Europa.

Sabia que…

a fábrica de Trémery foi inaugurada em 1979 e já produziu cerca de 50 milhões de motores de combustão interna, tanto a gasolina como Diesel?

A unidade industrial de Trémery-Metz é o principal empregador do setor privado na região francesa de Lorraine, com quatro mil funcionários. Trata-se da maior fábrica mundial em matéria de capacidade de produção. Mas a estratégia, muito dominada, até agora, pelos motores Diesel do grupo, está em profunda mudança e aponta à “eletrificação” das suas linhas de produção.

Segundo a agência Reuters, o objetivo será produzir até 900 mil motores elétricos por ano. E cada vez menos Diesel. Uma meta prevista para 2025, mas que poderá ser concretizada antes, dado que, já este ano, o número de unidades elétricas produzidas nesta fábrica ultrapassará as 180 mil, duplicando os valores do ano transato.

Secção patrocinada por empresas que apoiam jornalismo de qualidade
Autozitania

artigos relacionados

Últimas

Atualidade

Atualidade

Repintura