powered by

Sabe substituir o kit da correia de distribuição? A Industrias Dolz explica

Fabricante líder mundial no fabrico de bombas de água, explica, em 12 passos, num artigo assinado por Patricia Gimeno, como substituir o kit da correia de distribuição.

Antes de mais, uma pergunta elementar? Por que razão é necessário substituir a correia de distribuição? “Frequentemente esquecida, a correia de distribuição desempenha um papel essencial no automóvel. Assim como muitas outras peças, as correias de distribuição estão sujeitas a desgaste e precisam de ser substituídas em intervalos regulares”, começa por explicar a Industrias Dolz.

Que acrescenta: “A correia de distribuição garante que algumas das peças móveis essenciais do motor operem numa sequência perfeitamente sincronizada com a máxima eficiência. Como o nome sugere, a correia de distribuição é responsável pela sincronização do motor, mas irá desgastar-se com o tempo”.

Substituir a correia de distribuição faz parte da manutenção regular do automóvel. A Industrias Dolz recomenda uma consulta ao manual do proprietário para se saber quando deve este componente ser trocado. Mas alerta que podem existir alguns problemas relacionados com a correia de distribuição.

Quais? “Se ela começar a descascar, a apresentar fissuras, se estiver a amolecer ou a endurecer, ou se estiver contaminada com óleo ou água, está na hora substituí-la”, assegura.

Com o tempo, a correia pode perder “dentes” e escorregar. Pode até estalar e, em consequência, ser fatal para o motor. Quando tal acontece, o veículo para e tem de ser rebocado, pois o motor não arrancará até o motor seja reprogramado e a correia substituída.

Passo 1

Drenar e limpar o circuito de refrigeração.

Passo 2

Desligar o borne negativo da bateria, bem como os tubos de combustível e de admissão. Quando necessário, remover todos os acessórios, como a bomba da direção assistida, o alternador ou compressor de ar para se ter acesso à correia de distribuição.

Passo 3

Remover os parafusos que seguram a cobertura da correia de distribuição.

Passo 4

Remover a tampa da distribuição (caso exista).

Passo 5

Retirar a polia da cambota.

Passo 6

Alinhar as marcas da distribuição.

Passo 7

Travar a polia da distribuição. Verificar o alinhamento certo da cambota e das marcas de distribuição da árvore de cames.

Passo 8

Afrouxar os parafusos de montagem que prendem o tensor da correia. Verificar se a polia tensora não se encontra danificada.

Passo 9

Remover a correia de distribuição.

Passo 10

Retirar a bomba de água. Limpar a área do corpo da bomba no motor para evitar qualquer resíduo. Aplicar um pouco de silicone ou selante para facilitar a vedação das bombas caso sejam fornecidas sem junta.

Convém montar corretamente cada um dos componentes, pois a bomba ou até mesmo o motor podem ser danificados.

Passo 11

Reinstalar o tensor, respeitando sempre as instruções de montagem do fabricante do veículo para cada tipo de rolo. Verificar que não existe fuga de óleo na área que circunda a correia.

Passo 12

Colocar a nova correia.

“Quando uma correia de distribuição parte, causa danos a válvulas e pistões, podendo levar a uma avaria catastrófica do motor. Portanto, uma substituição dentro do timing previsto, reduzirá muito a possibilidade de a correia partir (e todas as avarias daí recorrentes)”, alerta a Industrias Dolz.

A correia de distribuição é, regra geral, um componente difícil de inspecionar, uma vez que é necessário ir muito fundo no motor para realizar a tarefa. Portanto, a sua substituição é um processo trabalhoso. Mas caso se disponha das ferramentas e aptidões certas, substituí-la não é uma tarefa difícil.

Após a instalação, convém serem reservados alguns minutos extras para verificar o funcionamento adequado da bomba e dos rolamentos e fazer os ajustes necessários. Uma das tarefas mais importantes é ajustar corretamente a tensão. Se a correia estiver muito tensa ou folgada, pode partir rapidamente.

Importa reabastecer o sistema de refrigeração com líquido de qualidade para garantir a vida útil e o desempenho da bomba de água e do circuito de refrigeração. Se o sistema de refrigeração estiver seco, pode causar um choque térmico e provocar danos irreversíveis no motor. A Industrias Dolz recomenda o uso de líquidos de refrigeração com aditivos orgânicos líquidos e concentração mínima de 40% de etilenoglicol.

https://www.youtube.com/watch?v=TQ8utWOFHuY&t=2s
Secção patrocinada por empresas que apoiam jornalismo de qualidade
WRX WolfMF Pinto Import. export peças, S.A.liquimoly_300x150_mRPL climaMerpeçasChampion Lubricants

artigos relacionados

Últimas

Atualidade

Internacional