powered by

Quantos tubos de travão cobrem a distância Chicago-Santa Mónica?

Nada menos do 11.776.119. Foi à boleia da TRW que percorremos a mais lendária das estradas norte-americanas, a Route 66, que liga Chicago, no Illinois, a Santa Mónica, na Califórnia.

Imagine este cenário: A pandemia acabou, a temperatura subiu até aos 35°C, estamos ao volante de um descapotável na mais lendária estrada dos states, a Route 66, que liga Chicago, no Illinois, a Santa Mónica, na Califórnia.

Citada em canções dos Rolling Stones e de Bruce Springsteen, a “mãe de todas as estradas” norte-americana, como é conhecida, ganhou um estatuto de culto, tendo sido palco das gravações do clássico filme “Easy Rider” e cenário do romance de John Steinbeck: “The Grapes of Wrath”.

Mas quantos tubos de travão são necessários para cobrir a distância original de 3.945 km que liga as costas este e oeste dos EUA? Nada menos do que 11.776.119, do tipo PHD941, da TRW, marca do Grupo ZF, que nunca deixa, a propósito, que os travões falhem.

Ao escolhermos a TRW, demonstramos confiança nos produtos da marca. Para mais, sendo ela dos fornecedores de travões e de componentes de travagem mais respeitados e admirados em todo o mundo.

No caso concreto dos tubos de travão, que nos levou a uma viagem (imaginária) pela icónica Route 66, a TRW disponibiliza uma gama superior a 1.400 referências, que dão resposta às necessidades de 87% do parque automóvel europeu, onde se incluem marcas de fabricantes de várias proveniências.

TRW brake hose

Além do mais, os tubos de travão da TRW dispõem da menor taxa de expansão volumétrica de acordo com os testes AMECA, proporcionando menor distância de travagem e maior sensibilidade no pedal do travão. Os precisos furos de encaixe concêntricos asseguram que o fluido de travagem circule livremente. Tudo para que a viagem coast to coast seja inesquecível.

“Brake hoses matter”

Bem poderia ter sido este o slogan da TRW caso se tivesse candidatado, através do seu responsável, às últimas eleições presidenciais norte-americanas ganhas por Joe Biden, depois de muita polémica relacionada com a contagem dos votos e de vários episódios de violência protagonizados pelos apoiantes de Donald Trump.

Mas voltemos à estrada. A expressão “brake hoses matter” (os tubos de travão – ou as mangueiras de travão – importam, em português) traduzem a atenção que a TRW dá a estes componentes, muitas vezes negligenciados pelos condutores, que dão maior importância às pastilhas e aos discos, por exemplo.

Route 66

De forma simplificada, podemos dizer que o tubo de travão é um item fundamental no capítulo da segurança em todos os veículos. Operando sob grande stress sempre que os travões são acionados, este componente deve ser verificado regularmente, pois qualquer falha que nele ocorra levará a uma perda de fluido de travagem. O que conduzirá a descida de pressão, podendo fazer com que haja uma falha no sistema de travagem. E as consequências podem ser gravíssimas.

Mesmo em plena Route 66, com o sol a derreter o alcatrão e o corpo a destilar ao volante do nosso convertible, a única forma de sabermos se o tubo de travão está a funcionar corretamente ou não é procedermos a uma inspeção visual.

Se detetarmos rachas ou fugas, tal pode indicar que o sistema de travagem se encontra danificado, já que a maioria dos componentes deste circuito se desgastam na mesma proporção do que outros. Felizmente, tal não se confirmou nesta aventura.

A nossa viagem de Chicago a Santa Mónica chegou ao fim. Foi memorável. Os travões portaram-se lindamente. E não nos esquecemos da recomendação da TRW: substituir os tubos de travão a cada cinco anos ou 50 mil km. Com esta viagem, ficámos mais perto de mudá-los. Porque, primeiro, está a segurança.

Mais sobre a TRW aqui.

Secção patrocinada por empresas que apoiam jornalismo de qualidade
SKFATA_store_300x150_m2liquimoly_300x150_mLogo_Mewa_300x150FUCHS_logo_300x150_mimporspeed_300x150

artigos relacionados

Últimas

Pesados

Repintura