powered by

Portugueses valorizam mais afetos devido à pandemia, diz a FREE NOW

Estudo realizado pela empresa de mobilidade refere que seis em cada 10 portugueses valorizam agora mais os abraços, beijos e afetos do que antes da covid-19.

O distanciamento social, imposto pela pandemia, está a criar uma maior valorização dos afetos. Segundo um estudo revelado pela FREE NOW, seis em cada 10 portugueses (e europeus) dá, agora, maior importância aos abraços e beijos do que dava antes do aparecimento do novo coronavírus.

O estudo indica ainda que os “portugueses valorizam agora mais as refeições com família e amigos, bem como a liberdade para fazer planos de última hora”. Mais: “Visitar os familiares mais idosos, ir a um restaurante e fazer uma viagem espontânea são os outros maiores desejos dos portugueses pós-pandemia”, revela a FREE NOW.

Desenvolvido pela plataforma de mobilidade TVDE e TÁXI FREE NOW, o estudo abrangeu oito países da Europa: Espanha, França, Irlanda, Itália, Polónia, Portugal, Reino Unido e Roménia.

“A pandemia obrigou todos os portugueses a mudarem os seus hábitos e rotinas. O que antes era normal, como viajar, dar um abraço ou mesmo um beijo, é agora dos momentos mais ansiados e desejados. De acordo com o estudo efetuado em oito países da Europa, os portugueses são os europeus que passaram a valorizar mais os abraços e os beijos nas pessoas que amam”, explica o estudo.

 “65% dos portugueses passou a dar maior importância às manifestações de afeto após a pandemia, à frente da Espanha (57%), Roménia (43%) e Polónia (41%). Depois dos abraços e beijos, os portugueses passaram a valorizar as refeições com a família e amigos (62%), bem como a liberdade para fazer planos de última hora (46%)”, conclui o estudo.

Mais sobre a FREE NOW aqui.

Secção patrocinada por empresas que apoiam jornalismo de qualidade
Euromais peças e pneusSoc. Coercial C. SantosexpomecanicaSKFwahlerliquimoly_300x150_m

artigos relacionados

Últimas

Ligeiros

Internacional

Internacional