powered by

OPCO promove indústria automóvel lusa na Alemanha

A convite da Associação da Indústria Automóvel Alemã (VDA), a OPCO vai estar presente no 14.° License Meeting, que decorrerá a 22 e 23 de abril, em Munique.
Check-up Media Pedro Silva OPCO

 “Vamos transmitir uma imagem positiva da indústria portuguesa, claramente orientada para a qualidade, e, também, nossa, como parceiros de licença da VDA em Portugal desde 2008”, começa por dar conta Pedro Silva, diretor-geral da OPCO, em comunicado.

A convite da Associação da Indústria Automóvel Alemã (VDA), a OPCO vai estar no 14.° License Meeting, que decorrerá a 22 e 23 de abril, em Munique, na Baviera.

Qual o potencial, quais os riscos e como é possível trabalhar em conjunto para desenvolver o setor automóvel em Portugal? Estas são as questões a que a empresa formadora e consultora do setor automóvel, com mais de 15 anos de experiência, se propõe a responder na VDA Round Table, na Alemanha.

O encontro anual reúne mais de 40 empresas licenciadas de 33 países. Em representação de Portugal, a OPCO vai ainda “aproveitar para estreitar relações com outros licenciados com os quais já temos boas relações estabelecidas, como Espanha, Hungria, Roménia, Países Baixos e, claro, Alemanha”, revela Pedro Silva.

“A oportunidade de estarmos nesta primeira edição da Round Table dá-nos uma satisfação muito grande, já que a entendemos como um reconhecimento do nosso know-how e da nossa experiência”, acrescenta o diretor-geral.

Check-up Media VDA manuals

E vai mais longe: “Este é um momento de partilha e, também, de aprendizagem. Para além de nos permitir mostrar a realidade do nosso país e a extraordinária capacidade de trabalho e de especialização que temos, permite-nos conhecer e trazer novas abordagens para Portugal”.

Exclusividade de tradução e venda

A OPCO assumiu, desde 2016, a exclusividade de tradução e venda dos manuais de normas VDA QMC em português. E vai já no sexto manual traduzido. Até essa altura, as versões portuguesas eram apenas asseguradas pela licenciada do Brasil.

“A nossa motivação foi colocar Portugal e o nosso português ao lado dos outros idiomas oficiais da VDA QMC”, explica Pedro Silva. Nunca a VDA tinha considerado a hipótese de haver mais do que uma versão na mesma língua.

A exceção foi aceite porque existem termos e definições completamente diferentes entre Portugal e Brasil, mas, também, pela confiança: “Já traduzíamos os materiais de formação usados nas nossas atividades, portanto havia um histórico a nosso favor”, conclui Pedro Silva, diretor-geral da OPCO.

Mais sobre a OPCO aqui.

artigos relacionados

Últimas

Pesados

Repintura