powered by

“Não se trata apenas de preparar o futuro, mas, também, já o presente”

2020 tem sido um ano desafiador e difícil. Com contrariedades e obstáculos, mas, acima de tudo, com muita incerteza. Será, certamente, um ano para lembrar.

Nu00e3o pelos melhores motivos, mas que deveremos sempre recordar com um espu00edrito cru00edtico e analu00edtico muito vincados, pois nas adversidades existem muitas liu00e7u00f5es e ilau00e7u00f5es a tirar.

E se os problemas nos devem preocupar, maior deve ser o nosso esforu00e7o e preocupau00e7u00e3o em pensar como podemos dar a volta u00e0s adversidades. Maior deve ser o nosso esforu00e7o e preocupau00e7u00e3o, em prepararmo-nos a nu00f3s e u00e0s nossas organizau00e7u00f5es, para enfrentar as contrariedades com planos, au00e7u00f5es e estratu00e9gias muito especu00edficas que nos permitam evoluir e vencer.

Ju00e1 todos ouvimos dizer (e muitos atu00e9 ju00e1 o sentiram na primeira pessoa) que, por vezes, nas crises surgem oportunidades. Hu00e1 que ver o copo meio cheio no sentido de analisarmos como podemos mais do que sobreviver: crescer! Como podemos ser melhores enquanto organizau00e7u00f5es e enquanto profissionais.

Este exercu00edcio, mais do que uma questu00e3o de atitude, tem de ser encarado pelas organizau00e7u00f5es como algo absolutamente necessu00e1rio e fundamental. Especialmente nestes momentos. Especialmente agora!

u00c9 nestes tempos de maior dificuldade que precisamos de perceber: onde podemos melhorar? O que devemos deixar de fazer? O que devemos continuar a fazer? Quais os recursos rentu00e1veis na empresa? Onde podemos e devemos cortar e ajustar? Onde podemos gastar menos, sem colocar em risco a qualidade e eficiu00eancia da nossa operau00e7u00e3o? A nossa estratu00e9gia faz sentido? Devemos mudu00e1-la? E tantas outras questu00f5esu2026

Ju00e1 todos ouvimos dizer (e muitos atu00e9 ju00e1 o sentiram na primeira pessoa) que, por vezes, nas crises surgem oportunidades. Hu00e1 que ver o copo meio cheio no sentido de analisarmos como podemos mais do que sobreviver: crescer! Como podemos ser melhores enquanto organizau00e7u00f5es e enquanto profissionais

Pois bem, u00e9 nestes momentos que conceitos como racionalizau00e7u00e3o de custos, maximizau00e7u00e3o da eficiu00eancia, aprendizagem e melhoria contu00ednua, formau00e7u00e3o, aposta na qualidade e capacidade de diferenciau00e7u00e3o, su00e3o fundamentais para podermos evoluir e prepararmo-nos para o futuro. Nas empresas, temos de fazer este exercu00edcio de autocru00edtica e autoanu00e1lise, para percebermos onde e como estamos, o que devemos fazer e para onde vamos ou queremos ir.

Este u00e9 o momento ideal para repensar processos internos, de modo a que as empresas se tornem mais eficientes. u00c9 o momento para as empresas se modernizarem e investirem em melhores condiu00e7u00f5es, assim como u00e9 o momento ideal para realizar uma u201creciclagemu201d nos conhecimentos e competu00eancias dos seus recursos humanos.

Estes aspetos aliados a uma verdadeira gestu00e3o 360u00b0 e completa dos negu00f3cios, ou seja, uma gestu00e3o nu00e3o apenas virada para as vendas e volume de faturau00e7u00e3o, mas sim mais virada para a melhoria de ru00e1cios e indicadores de gestu00e3o, foco na tesouraria, na rentabilidade, na gestu00e3o de cru00e9dito, na valorizau00e7u00e3o e crescimento dos recursos humanos.

E este processo u00e9 algo que deve ser imediato. Nu00e3o pode ser adiado. Nu00e3o se trata apenas de preparar o futuro, mas, tambu00e9m, ju00e1 o presente.

Secu00e7u00e3o patrocinada por empresas que apoiam jornalismo de qualidade

artigos relacionados

Últimas

Lubrificantes

Lubrificantes