powered by

IVECO debateu emissões zero dos transportes rodoviários

Webinar, organizado pela IVECO, debateu a eliminação das emissões poluentes nos transportes rodoviários. Há mais de 20 anos que a empresa aposta forte em soluções sustentáveis.

Um debate animado e enriquecedor. A IVECO realizou um webinar onde procurou discutir os caminhos para eliminar, de vez, as emissões de gases poluentes nos transportes rodoviários.

“A IVECO participa, desde 2019, juntamente com a FPT Industrial e outros parceiros, no projeto H2Haul, um ensaio-piloto com 16 camiões movidos a células de combustível de hidrogénio que, em 2022, irão partir para testes de estrada, acumulando mais de um milhão de quilómetros em diferentes aplicações em diferentes países”, salientou Pablo Cebrián, vice-presidente de Engenharia da IVECO, na sua comunicação sobre a necessidade de a indústria impulsionar este tipo de tecnologias.

A empresa tem créditos firmados nesta matéria. Há mais de duas décadas que a IVECO está empenhada em soluções de futuro para encontrar alternativas aos combustíveis fósseis, tais como o gasóleo, estratégia que, entre outros resultados, conduziu aos primeiros veículos de recolha de resíduos urbanos movidos a gás natural.

Sabia que…

a IVECO é uma marca da CNH Industrial N.V., empresa líder a nível mundial no setor dos bens de equipamento, que concebe, fabrica e comercializa uma ampla gama de veículos industriais ligeiros, médios e pesados, bem como camiões de obras?

Atualmente, o construtor conta com uma vasta gama de veículos comerciais ligeiros, médios e pesados, no segmento do transporte de passageiros, com versões a gás natural, elétricas e híbridas. Além disso, em 2019, fruto da joint-venture com a Nikola, a IVECO reforçou este empenho na descarbonização do transporte rodoviário com o desenvolvimento de veículos elétricos e a células de hidrogénio.

A marca, que pretende alcançar as reduções definidas para os anos de 2030 e 2050 no setor, foi um dos protagonistas do evento digital “Post-covid Energy Transition: Same goals, different policies” (“Transição Energética Pós-covid: Objetivos idênticos, diferentes políticas”, em português), organizado pela IESE Business School, que contou com a presença de Teresa Ribera, vice-presidente e ministra da Transição Ecológica e do Desafio Demográfico do Governo de Espanha, e de Cani Fernández, presidente da Comissão Nacional de Mercados e Concorrência.

Pablo Cebrián, vice-presidente de Engenharia da IVECO, foi um dos principais oradores na mesa redonda “Tecnologias e vetores alternativos renováveis: o hidrogénio e a indústria”, na qual também participaram Nemesio Fernández-Cuesta, presidente da Eolia Renovables e ex-secretário de Estado do Painel de Energia, Andres Barceló, diretor-geral da UNESID, e Teresa Rasero, presidente da Air Liquide.

Durante a conferência, Pablo Cebrián destacou a visão de futuro da IVECO em relação ao hidrogénio: “O hidrogénio é uma boa forma para viabilizar a redução de emissões nos transportes pesados. O objetivo de zero emissões até 2050 traduz-se, para a indústria dos transportes pesados, numa redução de 15% de emissões em 2025, face ao praticado em 2019, e de 30% até 2030”.

Acrescentando que, “de facto, 15% não parece muito, mas, para uma indústria que está, há 15 anos, empenhada na redução das emissões locais sem penalizar o consumo, este objetivo não será viável sem a contribuição de veículos zero emissões, elétricos ou a células de hidrogénio”.

IVECO S-Way

E sublinhou. “Demorámos 100 anos a fazer dos veículos Diesel aquilo que são hoje e, em 2030, temos de colocar os veículos a hidrogénio num patamar de custos operacionais equivalentes para o cliente. Anualmente, um camião consome entre €30.000 a €40.000 de combustível. É impensável um custo equivalente com 8 kg de hidrogénio a cada 100 km ao preço do hidrogénio verde de hoje”.

Pablo Cebrián salientou ainda, durante o debate, a necessidade de colaboração entre todos os intervenientes do setor, no sentido de alcançar estes objetivos e tornar realidade os transportes de emissões zero. “Temos de incentivar este tipo de tecnologias. Para isso, é essencial desenvolver o nível de conhecimento, investir em Investigação & Desenvolvimento e em infraestruturas”, disse.

Mais: “É essencial lançar novos projetos e promover a criação de conhecimento ao longo de toda a cadeia de valor. Por exemplo, a IVECO participa, desde 2019, juntamente com a FPT Industrial e outros parceiros, no projeto H2Haul, um teste piloto com 16 camiões alimentados a células de combustível de hidrogénio, os quais irão, a partir de 2022, percorrer mais de um milhão de quilómetros em testes de estrada, ensaiando diversas aplicações em variados países”, enfatizou.

Mais sobre a IVECO aqui.

Secção patrocinada por empresas que apoiam jornalismo de qualidade
VicautoCheckup_club_300x150_finalliquimoly_300x150_mRomafeFUCHS_logo_300x150_mTempanalise

artigos relacionados

Últimas

Atualidade