powered by

Big Data: maior acesso à informação beneficiará pós-venda automóvel?

O maior acesso à informação é um desafio e uma oportunidade histórica para o pós-venda automóvel. A Faconauto explicou quais as vantagens.

O uso de dados na indústria automóvel poderá ter importantes consequências no mercado de reposição e no pós-venda. Segundo um artigo publicado pela Faconauto, a chegada dos veículos conectados e a introdução da tecnologia autónoma trará, seguramente, aos concessionários e marcas, uma grande quantidade de novos dados para gerir. Ora, estes poderão ser uma enorme oportunidade para os revendedores e para o pós-venda. O objetivo final será oferecer produtos e serviços personalizados.

“Em primeiro lugar, é importante especificar que Big Data é a utilização de um conjunto de dados, estruturados e não estruturados, bem como a combinação deles. Mas quanto valerá isso para o setor? As suas aplicações podem ser infinitas e ainda não foram definidas. Entre outras coisas, o Big Data poderá ser especialmente útil no mercado de reposição e nos concessionários”, explicou a Artyco, empresa especialista em dados, citada pela Faconauto.

“O Big Data pode facilitar a vida do revendedor: cruzando as informações do cliente (geográficas, sociais, de estilo de vida ou até emocionais), criando modelos que ajudem a saber quando pensam os clientes trocar de veículo e qual o modelo que procurarão. Até mesmo a cor e as suas características”, frisou a empresa.

Conhecer clientes

Por outro lado, no pós-venda, a utilização de grandes quantidades de dados “ajudará a conhecer com precisão as necessidades dos consumidores”, frisou a Artyco.

Além disso, graças ao Big Data, “será possível prever avarias dos veículos, uma vez que estes permanecerão ligados à oficina, podendo fazer uma marcação, mesmo antes de ocorrer uma avaria. “O Big Data não é uma quimera”, explicou ainda a Artyco, acrescentando que “passos importantes em direção a esse novo modelo estão já a ser dados”.

Segundo ainda o artigo publicado na Faconauto, o especialista BlackBerry e a gigante do comércio eletrónico Amazon desenvolveram uma plataforma de software na “nuvem” para ajudar a indústria automóvel a padronizar os dados do veículo e a acelerar a implantação de novos recursos e serviços. “O maior desafio para a maioria dos participantes da indústria de modo a obter aplicações sem veículos ou monitorizar os seus dados é que não existe uma maneira padronizada de aceder aos mesmos”, esclareceram.

Secção patrocinada por empresas que apoiam jornalismo de qualidade
Autozitania

artigos relacionados

Últimas

Atualidade

Atualidade

Repintura