powered by

ALF destaca resiliência do financiamento especializado

Associação Portuguesa de Leasing, Factoring e Renting revelou os dados estimados dos três setores do financiamento especializado relativos ao primeiro trimestre deste ano.

Num período em que a economia portuguesa esteve fortemente pressionada pelo longo período de confinamento, as associadas da ALF mantiveram, apesar da redução na produção, posição de relevo no apoio à economia e ao PIB.

“O factoring registou uma redução de 10,8% no primeiro trimestre, para 7,4 mil milhões de euros em créditos tomados, desempenho expectável face à redução da atividade empresarial, que resultou na redução de faturas no mercado para serem tomadas”, começa por revelar o comunicado enviado ao Check-up.

“Analisando as diferentes componentes, o factoring doméstico registou uma redução de 13,9%, para os 3,3 mil milhões de euros em faturas tomados. O confirming (serviço que permite a antecipação do pagamento aos fornecedores, cabendo à instituição de factoring fazê-lo em nome do seu cliente) representou 3,1 mil milhões de euros em créditos tomados, num recuo de apenas 5,9% face ao período homólogo”, acrescenta.

A pressionar o setor esteve, sobretudo, o factoring internacional, “que registou 906 milhões de euros de produção e uma redução homóloga de 15,1%. A locação financeira (leasing) terminou o primeiro trimestre de 2021 com uma produção de 522 milhões de euros em investimentos financiados, representando uma redução de 20,9%”, pode ler-se no mesmo documento.

Quanto à locação financeira mobiliária, “recuou 18,8%, para 376 milhões de euros, com as viaturas ligeiras e pesadas a representarem 260 milhões de euros e o financiamento de equipamentos a representar 115 milhões de euros. Já no leasing imobiliário, o valor acumulado dos investimentos financiados caiu 25,8%, para 147 milhões de euros” refere a nota de imprensa.

Sabia que…

com 37 anos de existência, a ALF é a associação representativa do setor do financiamento especializado em Portugal? E que entre os seus 27 associados, encontram-se as principais instituições que exercem locação financeira, factoring e renting em Portugal?

Tal como acontece com o leasing, também o renting continua a contribuir para a renovação das frotas de automóveis. De acordo com os dados revelados pela ALF, o renting foi responsável pela aquisição de 6.824 viaturas ligeiras novas, no valor de 144 milhões de euros.

Analisado o balanço trimestral fornecido pela associação, o renting foi menos penalizado do que o mercado automóvel geral, sinal da resiliência deste tipo de produto. A produção de renting registou um recuo no número de viaturas de 16,6% no primeiro trimestre, período em que as vendas totais do mercado nacional caíram mais de 25%.

Para lá da produção de novos contratos de renting, a opção pelo prolongamento dos contratos existentes permitiu que o setor mantivesse uma dimensão total praticamente inalterada.

“Apesar do forte impacto da pandemia na economia, a frota total gerida pelas operações de renting ascendia às 120.532 de viaturas, no valor de 1,9 mil milhões de euros, representando uma ligeira redução de 0,7% e de 0,4%, respetivamente” revela o comunicado.

E conclui: “Numa análise à venda de automóveis em Portugal, o leasing e o renting, no seu conjunto, contribuíram com um total de 14.372 unidades, correspondentes a cerca de 36% dos automóveis novos introduzidos em Portugal neste primeiro trimestre”.

Secção patrocinada por empresas que apoiam jornalismo de qualidade
Euromais peças e pneusSoc. Coercial C. SantosexpomecanicaSKFwahlerliquimoly_300x150_m

artigos relacionados

Últimas

Pneus