powered by

ALF chega aos 700 milhões em financiamentos e créditos

Associação comemorou 40 anos de percurso desenvolvido a par do apoio dos três produtos à economia nacional ao longo das últimas décadas.
Check-up Media Luís Augusto ALF

A associação que representa, em Portugal, o leasing, o factoring e o renting comemorou, na passada quarta-feira, 28 de fevereiro, os seus 40 anos de existência no setor do financiamento especializado.

Num jantar comemorativo levado a cabo no Palácio Nacional de Queluz, a direção da Associação Portuguesa de Leasing, Factoring e Renting (ALF) relembrou o percurso iniciado em 1984 pela APELEASE, sete anos após a publicação, pelo Governo de Mário Soares, da Lei n.° 46/1977, que permitiu a criação das instituições parabancárias, entre outras, dando início à locação financeira no país.

Atualmente com 25 instituições associadas, a ALF evoluiu para representar leasing e factoring, este último regulamentado dois anos após a fundação, através do Decreto-Lei n.° 56/1986. Poucos anos depois, surgia o renting em Portugal, que veio a aderir à ALF em 2008.

Nestes 40 anos, o leasing financiou 100 mil milhões de euros em investimentos mobiliários e imobiliários, o factoring tomou 585 mil milhões de euros em créditos e o renting adquiriu 508 mil viaturas ligeiras novas, no valor de 10,6 mil milhões de euros.

Luís Augusto, presidente da ALF, lembrou que “no pós-25 de Abril surgiram estes novos tipos de produtos, que permitiram financiar as empresas e famílias e os seus investimentos e tesourarias, de uma forma mais vantajosa, dinâmica e adequada a cada realidade”.

Mais: “A evolução, diversidade e inovação dos produtos representados acompanha a evolução económica do país, fazendo a diferença para muitas empresas e famílias. É o trabalho que todos os associados desenvolvem que permite este progresso e que, no seu conjunto, são de uma riqueza inestimável para o progresso do país”, sublinhou.

O presidente da ALF notou ainda que “num mundo cada vez mais concorrencial, o leasing, o factoring e o renting são motores de desenvolvimento económico e de promoção da concorrência no financiamento da economia nacional”.

Segundo disse, “cada vez mais, quando se colocam desafios como o da transição energética e aumento da competitividade do país, estes três produtos especializados têm um papel a cumprir no apoio à economia portuguesa, à semelhança do que acontece com as economias europeias mais ricas”.

Mais sobre a ALF aqui.

artigos relacionados

Últimas

Atualidade

Atualidade

Em estrada