Skip to content

Nissan Juke 1.0 DIG-T Enigma: sedução sobre rodas

Com quatro letras apenas se escreve o nome do crossover coupé mais sedutor do segmento: Juke. Na nova versão Enigma, este Nissan é tudo menos ambíguo, obscuro ou difícil de compreender.
Nissan Juke

Lançado, na sua primeira geração, em 2010, tendo reunido um total de 1,5 milhões de unidades vendidas em todo o mundo, o Juke esculpiu um novo segmento de mercado, o dos crossovers compactos, que, hoje, está inundado de diversas propostas.

E a história encarregou-se de demonstrar que a Nissan estava certa quando, há uma década, decidiu replicar o sucesso do Qashqai num segmento inferior. Anunciando a mesma sensação de estilo e diversão, mas, agora, com um conjunto de tecnologias mais avançadas, o novo Juke é o Nissan mais conectado de sempre, graças à ligação wi-fi integrada, com capacidade de ligação que chega, imagine-se, aos sete equipamentos através de uma rede móvel rápida e fiável.

A ligação wi-fi faz parte das mais avançadas tecnologias integradas nos modelos da marca nipónica, no âmbito da Mobilidade Inteligente da Nissan (NIM), transformando o novo Juke no Nissan mais conectado de que há memória. A ligação realiza-se de forma segura, diretamente através do ecrã de 8″ do sistema de infoentretenimento presente a bordo, sendo compatível com Apple CarPlay e Android Auto, ou remotamente através da aplicação NissanConnect Services.

Os dispositivos são conectados, automaticamente, cada vez que o automóvel arranca, tornando o processo muito mais simples e cómodo comparativamente à ação de ativar o telemóvel como router cada vez que se quer estabelecer ligação durante a viagem.

“É perfeito, por exemplo, para que as crianças fiquem entretidas a ver filmes ou até a jogar online durante viagens longas. Ou ainda para os profissionais que têm de ter os seus dispositivos móveis sempre conectados”, explica a Nissan.

O router wi-fi integrado no novo Juke permite que os utilizadores nunca tenham de preocupar-se que a bateria dos seus telemóveis se descarregue à mesma velocidade que aumentam os dados móveis.

Nissan Juke interior

Além disso, como utiliza uma antena externa, o novo Juke garante sempre a melhor cobertura de rede. E para garantir essa cobertura de rede e a maior velocidade de ligação, a Nissan estabeleceu uma parceria com a Orange e os seus parceiros de comunicações em 15 países europeus, disponibilizando pacotes de dados aos clientes à medida das respetivas necessidades. Além de proporcionar entretenimento e conforto a bordo, esta tecnologia desempenhará um papel fundamental no desenvolvimento e na implementação da condução autónoma.

Postura atrevida

Com o lançamento da série especial Enigma, o novo Juke continua a expandir os limites de design arrojado, trazendo um novo nível de estilo a um crossover coupé que já se tornou icónico. “A nova versão Enigma representa o estilo futurista e negro retirado da irresistível personalidade do Juke”, refere a Nissan. Embora, neste caso, não exista nenhum lado negro da força, até porque o motor não permite grandes loucuras. Mas já lá iremos.

Nissan Juke rear

O que torna, então, o novo Juke Enigma ousado? Desenhado desde as rodas ao tejadilho para obter uma presença melhorada em estrada, esta nova versão recebeu uma série de atualizações estéticas.

As jantes de liga leve “Akari Black” de 19” aumentam a postura desportiva do novo Juke, ao passo que os padrões gráficos intrincados e personalizados adornam a linha do tejadilho estilo coupé e os espelhos retrovisores integrados nas portas.

A assinatura gráfica Enigma nos pilares “C” pode ser complementada por três combinações de tintas com dois tons. As opções de estilo incluem cinzento metalizado ou branco pérola com tejadilho em preto (ou totalmente em preto).

O novo Juke manteve, contudo, as características de design icónico da anterior geração, incluindo os distintos faróis circulares, que permitem um “rosto” imediatamente reconhecível. E para lhe conferir um novo toque e atualizar o estilo, estes faróis incluem, agora, uma assinatura de LED em forma de “Y”, que complementa a grelha V-Motion característica da Nissan.

E não há dúvida de que, seja de cima para baixo ou da esquerda para a direita, o novo Juke Enigma transpira sensualidade por todos os poros, seja qual for o ângulo de observação. A elevada linha de cintura, os vincos nas portas, a reduzida superfície vidrada (os vidros traseiros são escuros) e a curva descendente do tejadilho, que termina num discreto defletor colocado no topo do óculo traseiro, são características muito bem conseguidas.

A sedução exterior encontra total correspondência no interior, que oferece mais estilo, mais espaço, mais qualidade e tecnologia de topo. Por dentro, o novo Juke propõe maior liberdade de movimentos e mais arrumação, com o espaço para as pernas nos bancos traseiros a aumentar 5,8 cm e o espaço para a cabeça na secção traseira a crescer 1,1 cm, enquanto a capacidade da bagageira aumentou 20%, chegando, agora, aos 422 litros com os bancos posteriores na posição normal.

Dotado de um posto de condução ergonómico, de um nível de equipamento completo (a série especial Enigma inclui Apple CarPlay + Android Auto, ar condicionado automático e sensores de estacionamento dianteiros e traseiros com deteção de objetos em movimento, entre outras mordomias) e de um nível de segurança acima de qualquer suspeita (os dispositivos são tantos que seria fastidioso estarmos aqui a elencá-los, tendo este modelo obtido as 5 estrelas nos testes do EuroNCAP), o novo Juke agrada, também, pela qualidade.

Segundo a Nissan, “o interior reinventado foi acabado com materiais de topo, oferecendo, igualmente, mais estilo e maior conforto. Os novos materiais de toque suave no painel frontal, os frisos das portas e o espaço para os pés oferecem uma sensação de qualidade topo de gama”. E vai mais longe: “Os bancos, de formato único, com encosto numa única peça, contribuem para o visual desportivo e podem ter um acabamento em Alcantara ou pele”. No caso da versão Enigma, os bancos Monoform são em tecido na combinação preto/cinza.

Standard, Eco e Sport

O novo Juke foi criado para deslumbrar quer os novos clientes, quer os já existentes. As palavras são da Nissan. E ajustam-se face aquilo que observamos e sentimos ao privar com a nova versão Enigma. Já aqui destacámos a irreverência e o bom gosto do design, bem como a panóplia de soluções tecnológicas e a agradável estadia a bordo. Mas como será a dinâmica deste crossover coupé? Estará o seu desempenho à altura da postura atrevida que exibe?

Antes de mais, refira-se que o novo Juke, tal como o modelo da anterior geração, dispõe de três modos de condução (Standard, Eco e Sport), selecionáveis através do botão D-Mode.

O novo Juke adapta, assim, o seu desempenho às condições da estrada ou ao estado de espírito do condutor. Porque os dias não são todos iguais e os trajetos também não.

Depois, em nome da lucidez analítica, importa esclarecer que a versão Enigma ensaiada pelo Check-up tinha tração dianteira, dispunha de caixa manual de seis velocidades e estava equipada com pneus Goodyear Eagle F1 Asymmetric 5, de medida 225/45R19 96W XL em ambos os eixos. Pneu “a mais” para uma versão de “apenas” 114 cv? Nada disso.

Nissan Juke profile

Debaixo do capot do novo Juke Enigma, está instalado um motor a gasolina de três cilindros com elevada eficiência, que consegue ser reativo. Esta unidade de 1,0 litros é compacta e leve, mas inclui um turbocompressor para assegurar que os condutores usufruem da capacidade de resposta e condução divertida que se espera de um modelo compacto.

O bloco 1.0 DIG-T (com injeção direta de gasolina) oferece 114 cv de potência e 180 Nm de binário (200 Nm com função “overboost”). De série, traz acoplada a supracitada transmissão manual de seis velocidades, estando disponível em opção, pela primeira vez, a nova caixa DCT (automática de dupla embraiagem com sete velocidades).

Nissan Juke gearbox

Ainda que não ofereça propriamente prestações de cortar a respiração, o novo Juke Enigma é deveras agradável de conduzir. A direção comanda com exatidão as inserções do eixo dianteiro em curva, a suspensão mantém sempre a postura firme da carroçaria sem penalizar demasiado o conforto, os pneus oferecem excelente aderência e os travões cumprem com competência a sua missão.

Menos convincente é o comando da caixa manual. Não que seja ruidoso, mas carece de precisão. Nas solicitações mais exigentes, como, por exemplo, numa redução antes de se abordar uma curva, é frequente a engrenagem não acontecer à primeira, acabando o seletor por “embater” num ponto “neutro” da grelha ou “arranhando” a entrada da mudança.

Tirando este ponto menos positivo, gostámos de tudo no novo Juke Enigma. Dos níveis de estabilidade e motricidade, da postura confiante em estrada, do desempenho homogéneo do chassis, da agilidade com que tudo se processa, da facilidade em estacionar e dos níveis de consumo. Sem grandes excessos e com a ajuda do sistema start&stop, é possível atingir médias na casa dos 6 l/100 em cidade.

Terminamos este ensaio com mais um ponto a favor do novo Juke Enigma: o preço. Sem despesas, custa €25.930. Mas caso opte por este crossover coupé, pode ser que ainda vá a tempo de conseguir usufruir do preço promocional de €22.850 (sem despesas e limitado ao número de unidades em stock) proposto pela Nissan, que também disponibiliza uma solução de financiamento.

Secção patrocinada por empresas que apoiam jornalismo de qualidade
Blueprint
Merpeças
Liqui Moly
Promatic
Linextras
QF LDA Racing

 ÚLTIMAS 

Translate »